Aumento de vagas de emprego no setor de entretenimento e cultura cresce 8,8%

Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Promotores de Eventos (Abrape), o setor de entretenimento e cultura gerou 268 mil novos empregos em 2021, um aumento de 8,8% em relação a 2020. As vagas de emprego estão espalhadas por 52 áreas da cadeia produtiva, como operações turísticas, hospedagem, gastronomia, instalações de segurança e limpeza.

Publicidade

O setor cultural e de entretenimento do país abriga 6,2 milhões de pessoas, entre empregadores, funcionários e microempreendedores individuais (MEIs), que geram R$ 62,4 bilhões em salários e R$ 41,9 bilhões em taxas federais. Portanto, a Abrape destacou que o mercado tem uma receita de 334,2 bilhões de reais, ou 4,52% do PIB do país.

Os dados da Abrape

Os dados de 2021, no entanto, mostram que os pós pandemia teve uma perda líquida de 185.596 empregos em comparação com o período pré-pandemia. A pesquisa apontou que 3.506.431 empregos foram criados em 2019, 3.052.826 em 2020 e 3.320.835 em 2021.

Publicidade

O Perse é um esquema que possibilita que às pessoas jurídicas que exercem atividades econômicas relacionadas ao setor ativo pagarem dívidas registradas em dívidas ativas da União de acordo com sua capacidade de pagamento, com benefícios como descontos, entrada reduzida e cláusulas diferenciadas.

O setor de entretenimento e cultura é importante na economia

O SEBRAE e o Ministério da Saúde realizaram uma análise de dados no ano de 2018, mostrando que a indústria do entretenimento representou uma participação no PIB de 13%. Isso se traduz em uma liquidez total de 854 bilhões de reais em um ano. Na economia esse setor teve impacto, principalmente na geração de empregos e nos movimentos turísticos e culturais é enorme e deve ser acompanhado de perto.

Shows, eventos, convenções, feiras e competições esportivas são sempre animados e combinados com diversas outras áreas de atuação. Assim, acaba participando do desenvolvimento turístico, gastronômico, social e cultural em inúmeras regiões do país.

Publicidade

Entretenimento e cultura e sua reinvenção

Infelizmente, com a pandemia do COVID-19 e a urgência do distanciamento social, a indústria do entretenimento é uma das mais impactadas negativamente. Impulsionada principalmente por multidões e eventos presenciais, a indústria de entretenimento brasileira foi obrigada a se adaptar e mudar sua atuação no mercado. A tecnologia é a base de todas essas transformações. Sem a internet e a possibilidade de eventos remotos, o setor veria uma retração ainda maior.

Dar vida nas redes sociais e plataformas de streaming, criando um ambiente online onde palestras, webinars, conferências e exposições podem se espalhar e o interesse pelos eSports, cresceu mais de 29% no faturamento no ano passado, e no ano passado fez parceria com a indústria do entretenimento para se reinventar.

Veja também: Empresas estão adotando o método de trabalho de quatro dias por semana

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário