Usar resumos de livros sobre literatura em vestibulares vale a pena? Descubra!

Não é por acaso que a maioria dos exames de admissão no Brasil cobre clássicos da literatura. Afinal, essas obras carregam uma carga social e cultural extremamente importante, ou seja, esses classicos ajudam na evolução do português ao longo dos séculos. Por isso, são conhecimentos básicos obrigatórios para qualquer aluno, independentemente dos seus interesses académicos. Porém, os problemas comuns na fase pré-vestibular geralmente são os alunos que muitas vezes não conseguem ler uma obra por inteiro. Neste momento, surge a pergunta: vale a pena ler resumos dos livros de literaturas?

Publicidade

Contudo, antes de responder essa pergunta, vale lembrar que nenhum resumo ou explicação pode substituir uma experiencia de ler um livro por completo. No entanto, mesmo com algumas dificuldades de entender a linguagem escrita nas literaturas, quando praticada pouco a pouco, o leitor se sente habituado a entender cada vez mais as palavras consideradas ”dificeis e cultas”, fora que a partir do momento que a pessoa pega esse habito de ler livros, a,literatura passa a ficar mais agradável e emocionante.

No vestibular é possível acertar questões apenas lendo os resumos das obras?

Primeiramente, resumos de livros geralmente mostram uma visão geral das características da obra, enredo e personagens principais do autor e seu estilo, bem como um estudo superficial crítico da obra. Embora, no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou no vestibular você pode obter algumas questões corretas lendo apenas o resumo, principalmente as questões menos complexas.

Publicidade

Mas, certifique-se de obter mais alguns pontos, pois essas questões podem ser zeradas. Então, o recomendado é que se aprofunde nas obras para conseguir vantagens e não errar as questões. Além disso, como explicamos antes, se você se profundar, os resumos podem ser um recurso que torna tudo diferente, porque pode conectar a obra ao seu estilo e o autor ao mundo ficcional ao longo do livro, complementando a interpretação.

Como fazer um resumo para facilitar a interpretação?

Agora, caso você tenha seguido nossas dicas e lido os livros e queira fazer um resumo próprio para deixar a interpretação fácil. A chance de obter um desempenho agradável é grande, pois ao ler e revisar de forma crítica, os assuntos importantes serão abordados por você mesmo, sem procurar na internet resumos que muitas das vezes eles pulam partes importantes. Então, nesse tópico listaremos como fazer um resumo, com o intuito de virar uma consulta de estudos para as provas de vestibular, veja:

Publicidade
  • Primeiro de tudo, enquanto estiver lendo faça anotações de tudo aquilo que você leu e achou importante. Ou seja, anote sobre os personagens, enredo e as referencias que identifique o estilo da obra;
  • Segundamente, no seu resumo escreva um problema ou acontecimento que os personagens enfrentaram;
  • No desfecho da história, escreva bem explicado para ficar bem esclarecido;
  • Em seguida, faça uma pequena apresentação sobre a obra e escreva as críticas sobre a obra;
  • Por fim, leia outros resumos para comparar o seu e anotar o que você deixou passar despercebido.

Quais os livros recomendados para leitura no vestibular?

A maioria dos vestibulares do Brasil, como o Enem, geralmente costumam listar as obras literárias como leituras obrigatórias. Embora, tenham livros comuns, essa lista geralmente varia de instituição educacional para instituição educacional. Isso significa que, dependendo do exame que você fará, talvez seja necessário lidar com necessidades de aprendizado muito importantes. Se você tiver tempo suficiente, tente se planejar com antecedência, desde que reserve o tempo e use parte de sua rotina de estudos para essa atividade, é possível fazer a leitura de todos os trabalhos obrigatórios.

Nesse sentido, o plano de estudos é sem dúvida o seu maior aliado. Com base nisso, você pode arranjar tempo para se concentrar em todos os assuntos (incluindo os materiais de leitura obrigatórias), focar nos assuntos mais difíceis e, ao mesmo tempo, cuidar do descanso e do entretenimento.

Veja também: Ensino superior: presencial, semipresencial ou a distância?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário