Por que os empresários querem investir cada vez mais em educação e tecnologia?

Recentemente, o bilionário Flavio Augusto tomou a decisão de vender o Orlando City. Além disso, o mesmo afirmou que grande parte dos seus investimentos serão voltados para educação. O empreendedor ainda contou que colocará cerca de R$1 bilhão nos próximos anos para a educação. Porém, no meio do ano ele mostrou o capital de 100% empresa Coquer, que nada mais é que Nova Escola de Economia e Negócios.

Publicidade

Mas, é necessário saber que a Conquer é um empreendimento novo, que saiu do zero para o faturamento de 35 milhões de reais do ano passado em 4 anos. Contudo, esta função faz parte de uma estratégia multiplataforma. O conteúdo terá como foco a realidade do mercado de trabalho.

O diretor da Wiser Educação espera se livrar do modelo tradicional e planeja investir em cursos mais práticos. O principal é crescer a contratação para que todos possam se engajar e criar mais empregos.

Publicidade

Por que é necessário investir em tecnologia na educação?

Inicialmente, para o empresário Flávio, os empregadores estão mais interessados em pessoas que saibam conteúdos comercial, já que as mídias sociais estão crescendo muito, e com isso surgindo mais oportunidades e movimento a economia do país. Entretanto, na visão desses empresários as escolas precisam enriquecer a sua grade de estudo, já que na vida enfrentamos ocasiões de financeiro pessoal e outros.

Atualmente, existem 40 empresas no foco da Wiser. Quase dezessete deles assinaram acordos de não divulgação e devem fundir duas nos próximos meses. No entanto, quando questionados sobre o futuro da educação, especialmente sobre questões relacionadas à tecnologia no setor, os empreendedores são diretos e dizem que agora, as operações online são mais naturais.

Publicidade

Mas, o empresário Flavio conta que os ensinos tradicionais não vão acabar, e afirma que sempre terá o seu espaço, mas que a modalidade tecnológica veio para ficar. A população não será a mesma como antes quando falamos de comportamentos sobre o consumidor. Por isso, o mundo irá se adaptar e com isso, a estimativa é que cerca de 1 milhão de jovens serão matriculados na plataforma.

Sobre a Edtech

Entretanto, outro empresário que está investindo em tecnologia para educação é o Thiago Nigro, fundador do Grupo primo. Contudo, no começo do ano, Thiago fundou uma plataforma com conteúdo de investimentos e finanças, com assinatura. Esse grande grupo de empreendedores estão aplicando aproximadamente R$20 milhões na Finclass. Além disso, logo no inicio das suas operações, as visitas no aplicativo cresceram chegando a 850 mil, e as explicações sobre criptomoedas estouraram.

Thiago Nigro, fez uma critica as escolas de ensino tradicional, e ainda contou que os cursos das faculdades não estão ligados no rumo do mercado atual. Por isso, muitas universidades focam em apenas ensinar os alunos se preparar para o hoje, e não para o amanhã.  E ele ainda afirma que os formandos são  desinformados. Nigro, contém atualmente no Instagram quase 5 milhões de seguidores.

A plataforma Edtech do Thiago possuem cursos para quem deseja dar o primeiro passo em suas finanças pessoais, os tópicos abordados são carteira, investimento, perfil e criptomoeda, e servem tanto para quem já entende e quanto para as pessoas que querem sair do zero. Em suma, a realidade atual é que estamos cada dia mais perto de ficar totalmente em um mundo tecnológico. Mas, não quer dizer os ensinos tradicionais irão acabar, mas o mercado precisa se atualizar.

VEJA TAMBÉM: Tudo que você precisar saber sobre gestão de ativos digitais

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário