Pesquisas mostram que 75% dos profissionais negros sentem dificuldade para entrar no mercado de trabalho

Recentemente, foi realizado uma pesquisa pelo InfoJobs, sistema de empregos, onde mostra o racismo muitas vezes mascarado no mercado de trabalho e a dificuldade de entrada de profissionais negros nas empresas. Então, segundo dados 65% dos entrevistados que se identificam como negros, contaram que nunca passaram por preconceito racial em processos seletivos.

Publicidade

Entretanto, ainda outra estatística da pesquisa contrasta com esta mensagem: quando perguntados se a raça dificulta a entrada no mercado de trabalho, 75% disseram “às vezes” ou ‘’sim’’. Outros dados da pesquisa reforçam as barreiras que os negros enfrentam no mercado de trabalho. Para 73% dos entrevistados, os negros não têm as mesmas oportunidades que outros profissionais. Agora, para 85%, mesmo que um negro seja altamente qualificado para um cargo, terá mais dificuldade em conseguir a vaga do que um candidato branco.

Ainda sobre os dados

De acordo com InfoJobs, os dados mostram preconceitos raciais no mercado de trabalho, mas isso geralmente é. difícil de identificar Além das dificuldades em identificar de fato o que é tendencioso, pois o racismo muitas vezes pode ser mascarado, por exemplo, como na forma de falar ou olhar diferente para os candidatos. Contudo, há também o fato de que, em algumas organizações, o RH pode não expressar o racismo em processo seletivo, mas a raça continua a ser um fator nas dificuldades de emprego.

Publicidade

Portanto, entre esses fatores, estão também a diferencia salarial, embora esse fator é proibido por lei. Afinal, uma pesquisa do Insper, em 2020, homens brancos no mesmo emprego ganham mais que o dobro das mulheres negras.

Imersão de profissionais negros apenas em cargos básicos

Outro obstáculo é que os profissionais negros estão limitados a cargos de nível básico na empresa, sem potencial real de avanço para a liderança. Na pesquisa, 86% dos respondentes acreditam que existem preconceitos dentro das empresas, ocultos ou não, que atuam como um ‘’muro’’ para o avanço na carreira de pessoas negras. Entre os não negros, 67% acreditam que as empresas têm preconceito implícito contra profissionais negros.

Muitos tem dificuldades em denunciar esse preconceito

A pesquisa também perguntou sobre experiências dentro da empresa. 39% dos entrevistados disseram que sofreram preconceito racial no trabalho. Quando questionados sobre o que fizeram após o acontecido, 61% disseram que ignoraram a situação por medo de denunciá-la, 18% enfrentaram alguém que discriminou, 11% relataram para um superior e apenas 10% das pessoas contou ao RH.

Publicidade

Os dados da pesquisa podem explicar o medo de condenar o racismo no trabalho. 48% dos casos, o discriminador era alguém que ocupava um cargo-chave na empresa. Porém, quando se trata de comportamento racista, toda o alto cargo de uma organização pode estar envolvido, ou seja, 28% são cometidos por colegas e 23% por funcionários.

Veja também: Você sabe quais são os desafios e como apoiar o afroempreendedorismo?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário