Demissões por WhatsApp são permitidas e se tornam mais frequentes com a pandemia

Uma prática considerada desrespeitosa por muitas pessoas está ganhando popularidade a cada dia que passa: as demissões por WhatsApp. Soando, para muitos, como uma atitude covarde e bastante duvidosa por parte das empresas, a demissão por aplicativos de mensagens tem sido um recurso utilizado pelos empregadores e que ganhou força com a pandemia de Covid-19 e o estado de isolamento social.

Demissões

Publicidade

Com a pandemia, muitos comércios, empresas e serviços foram obrigados a desligar parte de seus empregados, visto que a demanda diminuiu por conta do número reduzido de pessoas circulando pelas ruas e, com a população isolada, os empregadores tiveram que achar alternativas para demitir.

Surgiram então as demissões pelo WhatsApp, que se tornaram bastante frequentes na pandemia. E mesmo que pareça, a prática não é ilegal, desde que seja feita de forma correta. O WhatsApp, assim como aproximou os empregadores das empresas, também passou a ser usado como ferramenta de apoio para desligamentos.

Publicidade

Especialistas falam sobre demissão via WhatsApp

Especialistas apontam que, mesmo que a demissão pelo WhatsApp seja ainda mais deprimente para o empregado, é possível fazê-la legalmente, desde que haja respeito e muita cordialidade do empregador para o funcionário. Por se tratar de um momento delicado, em que o trabalhador toma ciência de que está perdendo talvez o principal meio de sustento para a família, o empregador precisa ter tato para demitir por mensagem, ligação ou chamada de vídeo.

Esse cuidado passou a ser ainda mais importante visto que a própria pandemia tornou as pessoas mais sensíveis emocionalmente, e uma demissão realizada da forma incorreta pelo WhatsApp pode ser o gatilho que faltava para levar o empregado a tomar atitudes impensadas e prejudiciais à própria integridade física e da família também.

Como demitir virtualmente

Os especialistas aconselham que o empregador adote uma linguagem cordial, amistosa e extremamente respeitosa com o empregado. Depois disso, é necessário confirmar que o empregado, de fato, recebeu a mensagem e está ciente da demissão. Caso isso não aconteça, a empresa precisa chamar o trabalhador até o local, para que o desligamento seja comunicado de forma presencial.

Publicidade

O empregado terá total direito de entrar com uma ação judicial contra o empregador se os cuidados não forem devidamente tomados. Xingamentos, humilhações e ofensas contra o empregado podem gerar processo por danos morais contra a empresa.

Apesar de ser “diferente” e “mal-vista”, a demissão por WhatsApp tem sido mais frequente. Nela, o empregado terá todos os direitos que são previstos em lei, como pagamento das verbas rescisórias e 40% da multa do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em até 10 dias, além da entrega de todos os documentos necessários para o desligamento.

Veja também: Mesmo com crise econômica, Brasil atinge menor taxa de desemprego desde 2015

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário