34% dos alunos não conseguem controlar suas emoções

Segundo pesquisa do Datafolha, 34% dos alunos não conseguem enfrentar suas emoções desde que voltaram às atividades presenciais.  

Publicidade

Dados estão em levantamento encomendado pelo Itaú Social, Fundação Lemann e BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). As entrevistas foram feitas entre 6 e 27 de maio e foram ouvidos 1.308 pais e responsáveis por 1.869 estudantes do sistema público de ensino. Considerando todas as regiões do país.  

O estudo também indica que 40% dos alunos estão recebendo algum tipo de acompanhamento psicológico, além do percentual de 24% destes alunos se sentirem sobrecarregados e 18% tristes ou deprimidos.  

Publicidade

Violência e saúde mental

Se compararmos os dois primeiros meses deste ano, o período registra alta de 48,5% de ocorrências envolvendo agressão física, em relação a 2019.  

Os relatos que cruzam o país inteiro fazem parte do retrato atual de problemas de ordem psíquica que afetam as escolas. Professores dizem haver um aumento de casos que envolvem crises de ansiedade, falta de concentração e episódios de automutilação entre jovens e crianças.  

Em entrevista ao jornal Folha de S.P, o diretor de projetos de educação da Fundação Lemann, Lucas Rocha, disse que já era esperado que o período de distanciamento social e fechamento das escolas alteraria a dinâmica de ensino, entretanto, a situação é inédita pois não houve meios de prever o tamanho desse problema.  

Publicidade

Aprendizagem dos alunos

A pesquisa indica também que 39% dos estudantes matriculados no começo do ensino fundamental (1º ao 5º ano) enfrentam dificuldades para alcançar a alfabetização plena. Segundo os pais, 6% não estão progredindo.  

O retrato do final deste período (6º ao 9ºano) é ainda pior. 47% carregam dificuldades em lidar com mais de um professor. Sobre exercícios matemáticos e textos extensos para leitura, 73% e 56% afirmam possuir alguma dificuldade, respectivamente.

 

Saiba mais:https://carreiraseprofissoes.boasideias.com.br/sem-emprego-milhoes-empreendem-por-necessidade/

 

Demissões por WhatsApp são permitidas e se tornam mais frequentes com a pandemia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário